fbpx

BRADESCO CELEBRA CONTRATO DE AQUISIÇÃO DO BANCO DIGIO COM O BANCO DO BRASIL

O Bradesco (BBDC4) celebrou com o Banco do Brasil (BBAS3) um contrato para aquisição do Banco Digio. Saiba detalhes.

O Banco Bradesco S.A. comunicou ao mercado, aos seus acionistas, clientes e funcionários que, por meio de sua controlada Bradescard Elo Participações S.A., celebrou com a BB Elo Cartões Participações S.A., controlada do Banco do Brasil S.A., um contrato para a compra de sua participação de 49,99% no Banco Digio S.A.

O contrato foi assinado com a interveniência da Elo Participações Ltda. e de outras empresas que compõem a atual estrutura societária do Digio. Serão pagos R$625 milhões por essa participação, e o Bradesco passará a deter, indiretamente, 100% do capital social do Digio.

O Digio é um banco digital, que disponibiliza aos seus clientes pessoas físicas uma experiência diferenciada para realização de suas atividades financeiras e de pagamentos. Atualmente, o Digio tem aproximadamente 2 milhões de cartões de crédito e também oferece contas e crédito pessoal aos seus clientes. A sua carteira de crédito é da ordem de R$2,5 bilhões.

Abra sua conta de investimentos no banco BS2 totalmente gratuita, clicando no banner acima.

Essa transação está alinhada com a estratégia do Bradesco de investir em empresas digitais, complementando de maneira diversificada a sua atuação e atingindo variados públicos, com diferentes modelos.

Para o vice-presidente executivo do Bradesco, Marcelo Noronha, a aquisição da fatia do BB vai ao encontro da estratégia de crescimento do banco e funciona como um complemento para as outras frentes em que já existe atuação. Ele afirma que novos produtos serão ofertados pelo banco digital, como crédito imobiliário.

O Digio continuará atuando de forma independente do Next – braço digital do Bradesco – num primeiro momento. Como destaca Noronha, o momento é de acelerar e ganhar tração, o que seria limitado com todos os processos que envolvem uma fusão. O Digio, hoje, tem cartão de crédito, contas e empréstimos pessoais. Mas a ideia é colocar investimentos e outros produtos e serviços que possam ir ao encontro da demanda dos clientes como, crédito imobiliário.

A conclusão da operação está sujeita à aprovação do Banco Central do Brasil e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, além do cumprimento de outras formalidades necessárias.

Aviso Legal: “Todos os comentários, alegações, ponderações sobre quaisquer informações relacionadas a Bolsa de Valores, são meramente opiniões dos colunistas e não devem ser interpretadas como recomendação de compra ou venda de nenhum ativo.”

Imagem padrão
Rafael Zambelli
Engenheiro, mestre e doutor. Professor Universitário e investidor há mais de 10 anos. Focado em Análise Fundamentalista e Técnica, criador do canal do Youtube Rafael Zambelli, além de investidor em startup's.
Artigos: 525

Deixar uma resposta

error: Todo o conteúdo do nosso site é protegido por código.